26 de junho de 2007

Pra não dizer que não falei de scrap

Hoje eu li algumas notícias e acho que chegou a hora de soltar os cachorros.

  • O governo quer implantar censura prévia na televisão (ontem o tal Romão, do Ministério da Justiça, foi ao Roda Viva tentar justificar a censura - é a notícia que me leva a publicar esse post). Quando eu digo que estamos lentamente caminhando pra uma ditadura petista, ninguém acredita. O governo alega que está tentando preservar as criancinhas da pornografia e da violência (e com isso consegue seduzir umas ONGs), mas, falando sério: você realmente acha que esse governo se preocupa com as criancinhas? O mesmo governo que quer encher as escolas com máquina de camisinha? O mesmo governo que publicou uma cartilha para os adolescentes relatarem suas "ficadas" e sabe mais Deus o quê? O mesmo governo que quer legalizar o aborto? Que nada. O governo quer a censura (disfarçada de "controle ético") para poder pressionar os canais de televisão. Esperem e verão.

  • O pai de um dos moleques que espancaram a empregada doméstica está indignado, coitado. Diz que não tem culpa e que o filho não merece ficar preso junto com outros bandidos, porque "ele tem caráter". Faça-me o favor... que tipo de caráter é esse? E, se a educação recebida em casa não é tudo (porque gente que recebe educação muito boa dos pais não está isento de virar criminoso), ela influencia muito. Aposto a minha Honey Bee que a maioria desses imbecis recebeu uma "educação" relaxada em casa, do tipo que não está nem aí para o que o filho faz ou com quem anda. Aposto que os pais "ensinaram" a esses moleques que, no fim das contas, como eles têm dinheiro, estão acima de tudo e todos - isso eu concluo do que o próprio pai do delinqüente falou. Pelo contrário, o pai da empregada doméstica deu um show de lucidez. O único lado bom desse episódio todo é mostrar para os sociólogos de botequim que não existe ligação entre pobreza e criminalidade - o sujeito não é crimonoso por ser pobre, é criminoso porque é mau-caráter.

  • Agora que os guevarinhas saíram da reitoria da USP, constatou-se o óbvio: o vandalismo dentro do prédio, inclusive com depredação de equipamento. Eu me formei em jornalismo na USP, e tenho vergonha de ver que estudantes de Comunicação estavam no grosso das "forças de ocupação". A diferença é que, quando eu estava lá, eu acredito ter aproveitado muito bem a chance, adquiri o máximo de conhecimento que pude, freqüentei disciplinas optativas, e agora devolvo isso à sociedade, ainda que não seja a paulista, que sustenta a USP. E essa molecada, em vez de estar estudando e aproveitando uma chance que pouquíssima gente tem, fica invadindo reitoria e gritando palavras de ordem ressuscitadas por algum dinossauro socialista.
    (Editado em 28/6): Nos últimos dias a imprensa noticiou aquilo que eu já imaginava: sumiu coisa da reitoria da USP. E não foi pouca coisa não. Computador, pen-drive, tudo isso os guevarinhas levaram. Se a polícia tiver um mínimo de inteligência, vai procurar no DCE da USP, ou nos diretórios paulistanos do PSTU, PCO e dinossaurices semelhantes. Agora, quem aposta comigo que, apesar do vandalismo e do roubo, nenhum aluno ou servidor da USP será punido? Afinal de contas, nunca na história desse país foi possível aprontar tanto e sair impune. Se vale para deputados federais, senadores, assessores especiais, sem-terra, traficantes e outros, por que não valeria para universitários?
    É nessas horas que dá pra fazer um paralelo: corrupção em altas esferas do governo é coisa de quem não dá a mínima para os recursos públicos - aquilo que pertence a mim, a você, a todos nós. Esses guevarinhas invasores da reitoria são os futuros mensaleiros e sanguessugas da nação. Hoje podem estar no PCO e roubar um pen-drive, mas aos poucos irão migrando para partidos e posições onde puderem roubar mais. É muito simples.

  • Os ministros do Lula e até o vice-presidente instalaram um concurso para ver quem dizia mais bobagem sobre a crise aérea. O José Alencar pede a "nossa ajuda". Quer o que, que eu vá pra frente do radar? O Mantega diz que é o preço da prosperidade (queria saber como ele explica o fato de os aviões levatarem vôo em países muito mais prósperos que o Brasil). A Marta manda relaxar e gozar, não é demitida por causa disso e começa a viajar de avião da FAB para evitar constrangimentos caso tivesse que enfrentar um saguão de aeroporto cheio de gente que estaria fazendo de tudo, menos relaxando e gozando. Quer dizer que a ministra precisa ser protegida da população? Eu achei que era o povo que tinha que ser protegido desses ministros... e aí vem o Lula, num ataque de hipocrisia, "mandando" o coitado do brigadeiro Saito "fazer o que fosse necessário para manter a disciplina militar"... que eu me lembre, foi o próprio Lula que estimulou o desrespeito à hierarquia no fim de março, quando os controladores fizeram greve, o comandante ia lá prender os sargentos amotinados e foi desautorizado pelo presidente...

    (Editado em 28/6)
  • Como eu pude esquecer do Lamarca? Você, scrapper nascida na década de 80, talvez nem saiba quem é Lamarca, a não ser que tenha visto o filme com o Paulo Betti. Carlos Lamarca foi um terrorista de esquerda morto na década de 70 pelo Exército. Era capitão e desertou do quartel levando muita munição para a Vanguarda Popular Revolucionária, um grupo de guevarões que, graças a Deus, não conseguiu o que pretendia (transformar o Brasil numa ditadura comunista). Pois bem, o governo decidiu dar à viúva e aos filhos do Lamarca uma indenização de 300 mil reais por causa do tempo que eles precisaram passar em Cuba (aliás, enquanto a família estava lá, Lamarca se divertia com a Iara Iavelberg). Tem mais: Lamarca foi postumamente promovido a coronel do Exército (vá lá, isso não foi coisa da Comissão de Anistia, e sim da Justiça Federal em 2006), e por isso a família vai receber todo mês o soldo equivalente à patente imediatamente superior, a de general-de-brigada. Uns 12 mil por mês. Peraí: como assim promover o homem a coronel? Ele não desertou? Teoricamente quem deserta não é mais membro da força que abandona... agora, a cereja no sorvete: a família de Lamarca vai ganhar 12 mil por mês (sem precisar pagar imposto). Sabem quanto ganha por mês a família do soldado Mario Kozel Filho (morto quando um outro grupo terrorista encheu um carro de explosivos e jogou contra um quartel paulistano)? Um salário mínimo... e será que as famílias daqueles que Lamarca matou (o guarda civil Orlando Pinto da Silva, o tenente da PM Alberto Mendes Junior e o agente da PF Hélio Carvalho de Araújo) estão recebendo alguma coisa?

    Na boa - se alguém me oferecer uma chance de ir pra Europa, pros Estados Unidos ou pro Canadá, estou topando. Além de lá não haver presidentes limitados intelectualmente, o material de scrap é mais barato.
  • 2 comentários:

    Bete disse...

    Marcio...meu nome é Bete e faço scrap há 3 anos. O primeiro fórum a me cadastrar foi no ScrapBookBrasil, mas hoje participo mais do Scrapdiary. Digo que participo de todos os fóruns que conheço. Não há melhor e pior...todos são ótimos. Scrap é felicidade. Estava, eu, "passeando" pelo SBB...e vi um comentário e o endereço do seu blog. Lembro-me quando vc se cadastrou no SBB, mas nunca vi nenhum comentário sobre vc no SD....vou procurar....rs. Adorei ver que vc "vingou" e compartilha ativamente desse hobby. Bem, estou aqui para dizer que vez em quando vou aparecer para dar uma xeretada no seu blog e vou mostrá-lo para meu marido...quem sabe ele se anima.....risos......
    Bjks para vc......e para Cristina

    Bianca Sabbag disse...

    Marcio...ótimo post.
    A injustiça desse país também me desamina a fazer planos e prosperar por aqui!!!!
    Adorei o final!
    Bj